» LASIK - A Diferença:
 

Desde 1949 o oftalmologista José Barraquer, espanhol radicado na Colômbia
começou a utilizar uma técnica para modificar a curvatura da córnea - a parte anterior e
transparente do olho por onde penetram os raios luminosos que trazem as imagens que
enxergamos.

Esta técnica era utilizada geralmente para graus muito elevados de miopia que
não permitiam vida razoável aos portadores mesmo com óculos. Muito delicada, envolvia
a retirada de uma fatia da córnea que era congelada com nitrogênio líquido, colocada em
um torno e moldada de acordo para que diminuísse ou se possível eliminasse a necessida-
de de óculos.

Como em tudo que se persiste, esta técnica denominada Ceratomileusis evoluiu
para Ceratomoleusis In Situ, onde não havia mais o congelamento mas era descartada uma
pequena e microscópica fatia central para corrigir graus variados.

Em 1980 Syatoslav Fyodorof, grande oftalmologista russo, introduziu nos
Estados Unidos experiências junto com o Dr. Leo Bores, médico americano e iniciou-se a
era das cirurgias pela técnica de Ceratotomia Radial, onde eram feitas de 3 à 16 incisões
radiais na córnea com bisturí de diamante de acordo com o grau necessário e incisões
transversais para astigmatismo.


Esta cirurgia tinha melhores resultados entre -1.00 e -5.00 graus de miopia
com algumas variações, entretanto em alguns casos o grau continuava variando levando
alguns pacientes à hipermetropia. Ainda hoje, apesar do advento do Excimer Laser alguns
oftalmologistas a realizam, mas cada vez menos.

Trokel - Oftalmologista americano na mesma década de 1980 observando a
perfeição do excimer laser na fabricação de componentes eletrônicos microscópicos lançou
as bases para o estudo do laser para a correção da miopia. A Ceratectomia Fotorefrativa
foi iniciada com a Dra. Margherite Mcdonald de New Orleans em 1989.

Mais ou menos na mesma ocasião alguns cirurgiões que realizavam
Ceratomileusis In Situ associaram o excimer laser para substituir o segundo corte da córnea
surgindo então o Lasik ( Ceratomileusis in situ assistida à laser ).

Com esta tecnologia consegue-se então reduzir ou eliminar totalmente o uso
de óculos e, ou lentes de contato em cirurgia de 5 minutos por olho com anestesia tópica
( colírio ) e com recuperação imediata para o trabalho no dia seguinte.

Analisando este histórico vê-se que a cirurgia de LASIK é na realidade uma
cirurgia com mais de 50 anos tornada mais simples a partir de 1989 com a associação ao
laser.




» A Cirurgia:

Após seu olho ter sido completamente anestesiado por meio de gotas de colírio anestésico, coloca-se um pequeno afastador entre suas pálpebras para impedir que você pisque.

Em seguida um instrumento chamado microcerátomo levanta uma fina camada da córnea. Durante esse processo você poderá sentir uma pequena pressão, mas não sentirá dor. Pediremos que você olhe para uma luz que pisca enquanto o laser esculpe a córnea. Essa fase geralmente leva menos de 1 minuto. Depois a camada corneana é reposicionada no local sem sutura.

Com 8 horas de repouso mantendo os olhos fechados sem curativo a cicatrização ocorre sem dor em 95 % dos pacientes.

» Clique aqui para conhecer as possíveis complicações do Lasik.

  << VOLTAR À PÁGINA INICIAL
® Copyright by MD5 Network 2003 - Todos os direitos reservados.